domingo, 15 de agosto de 2010

Dentro da (des)ordem, a ordem!

Paradoxal? Não, real. Parece existir, à primeira vista, uma aparente oposição entre ordem e desordem, no entanto, fazendo a leitura, tentando compreender a dita desordem, é que se percebe que nada está ali por acaso, pois, por trás da aparente desordem, existe uma ordem, uma justificativa para tal coisa, talvez uma lógica, não havendo, portanto, a desordem absoluta. Quando então empreendemos uma certa ordem a algum contexto, estamos, na verdade desfazendo a outra ordem pré-existente, a que chamamos de desordem, em outras palavras, quando não se enxerga ordem é porque a ordem que se pretende ver não é a ordem existente, mas outra ordem.

A ordem de um ambiente pode ser conquistada em contrapartida à desordem de outro. Portanto é questão de leitura e de contexto. Em outro caso a ordem pode ser aleatória para uns, mas significativa para outros. Alguém já lhe disse: "não mexe não, que eu sei onde está cada coisa!". E é isso mesmo que acontece. E há ainda aquela situação em que a ordem da desordem já não mais atende, ou porque de tanto usar e não manter essa dita ordem, acabou-se por criar-se uma nova (des)ordem ou porque mudou o contexto de interesse. Nesse caso transformar essa (des)ordem em ordem é tornar a coisa acessível.

Ordem e desordem são tratadas na biologia molecular, entropia dos sistemas termodinâmicos, sistemas probabilísticos, teoria do caos e em outros estudos bem complexos, na esfera das teorias científicas. Nesse espaço pretendo apenas expor o que ocorre no meu contexto de trabalho, que lida com esses contrapontos.

Trabalho diariamente com a ordem e a ordem do dia é sempre essa: dentro da desorganização, há uma organização, procurem entender primeiro para só então manipular os documentos.

Na Arquivística deve-se preservar a ordem original dos documentos no contexto do seu produtor, ou seja, a ordem em que o arquivo foi se compondo a partir dos procedimentos e dos fatos que foram ocorrendo, é o princípio de respeito aos fundos, em que é aplicada a manutenção da sua ordem original, estabelecida por quem os criou. Ocorre que às vezes essa ordem original encontrada não é a ordem original, pois alguém já veio antes e fez alguma intervenção. E há casos também que a ordem original não é a ideal para se manter alguns arquivos, cabendo aqui a intervenção consciente aliada sempre ao contexto do produtor.

Algumas frases da web selecionadas sobre ordem/desordem:

"Para o sábio tudo é ordem, o néscio acha desordem em tudo." (Marquês de Maricá)
"A hora de estabelecer ordem é antes de entrar a desordem." (Textos Taoístas)
"A ordem é o prazer da razão: mas a desordem é a delícia da imaginação." (Paul Claudel)
"A ordem traz luz à memória." (Cícero )
"Não devemos deixar entrar a desordem onde há ordem." (António de Oliveira Salazar)
"Ordem, contra-ordem, desordem." (Napoleão Bonaparte)
"Ordem é a disposição que atribui a cada uma das coisas iguais ou díspares o seu lugar." (Santo Agostinho)
"A desordem é o melhor servidor da ordem estabelecida." (Jean-Paul Sartre)
"A ordem dos elos mudou, mas a corrente continuou a ser uma corrente." (Gianni Rodari)
"Não há nada mais difícil de realizar nem mais perigoso de controlar do que o início de uma nova ordem de coisas." (Nicolau Maquiavel)
"Debaixo de uma aparente desordem e confusão, tudo é ordem e harmonia, na terra entre os viventes, como nos céus entre as estrelas. " ( Marquês de Maricá )


Nenhum comentário:

Postar um comentário