sábado, 21 de julho de 2012

Um remédio chamado leitura


 Você não é mais o mesmo depois daquela dose de leitura que fez ontem. A mente se abriu para o desconhecido e, por algum motivo, abriu o apetite, desencadeou a vontade de buscar mais, mais e mais. Daí você tomou mais leitura, teve novas sensações, porque conheceu novos autores, frases e estilos. Agora usa mais vocabulário, já articula melhor as frases, se coloca para discutir certos assuntos antes não dominados. Confronta posicionamentos, sabe o diferencial entre um e outro e sabe usá-los em seus escritos, aprendeu também a referenciá-los e conhece a fala certa para a hora certa. O remédio fez bem, continua o tratamento sistemático, melhora a cada dia, descobrindo algo a mais, agregando valor a sua bagagem, que agora se multiplicou e já tem que ser dividida, pois sempre há alguém com quem compartilhar. E, com essa troca, seu desempenho responde bem, contribui para seu crescimento e do outro, gera conhecimento. 

 
Leitura é cura, desperta sentimentos, abre caminhos, ilumina ideias ou "apenas" dá prazer e saber. 

Leitura é cura,  seja pelas entrelinhas, manchete, texto ou contexto e, quando dura, cresce e aparece.

Leitura é cura, quando tudo está fechado, escuro e obscuro, traz abertura, enriquece e fortalece.

Leitura é cura, espanta tristeza, vazio e amargura, aquece e rejuvenesce.




Nenhum comentário:

Postar um comentário