sábado, 14 de março de 2015

Poesia, sua travessia...


Habito no coração das pessoas, 
sou freguês, tenho freguesia! 
Porque produzo sonhos e ilusões, 
vou por aí fazendo cortesia... 
Sem avisar, afloro naturalmente, 
nasce poesia. 
E muitos vão se valendo de mim, 
leitura, contexto ou fantasia.
Gente que a toda hora, noite e dia
abusa de poesia, 
qualquer um, rico, pobre
ou burguesia.
Insiste, persiste e não desiste, 
pura teimosia! 
Por isso, não padeço de insonia, 
nem de paralisia. 
Parada, sou movimento, sou maresia. 
Respingo em toda parte, 
e ando por aí, fazendo travessia...
Travessia com o gosto de vida e natureza,
tudo em demasia.
Som do mar, toque do céu, gosto do sol, cheiro das cores,
sinestesia!

AnaLu

2 comentários:

  1. Cortesia...
    Travessia...
    Sinestesia!
    Parabéns de respingo ,de respingo nasce a poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso nesno! E a senhora sabe muito bem disso...

      Excluir