quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Infância e brincadeiras do fundo do baú II


Ouvir estórias, sim, assim mesmo, com essa grafia, naquela época havia muita diferença entre a estória de mentirinha e a história, aquela que se aprendia no colégio, era uma brincadeira e tanto.

Ouvia-se e imaginavam-se as cenas, tudo a partir dos sons, das falas, dos efeitos de contra-regra e até mesmo da própria ilustração da capa do "Disquinho". Viajava-se no mundo da estória e da fantasia, que sempre trazia uma lição de moral, incorporada de imediato às mentes e aos comportamentos.

Neste Dia da Criança presenteio as crianças de hoje com essa maravilha, com tudo de bom advindo dessa brincadeira. Os três disquinhos, dentre outros, faziam parte do acervo das crianças da família (Fábio, Vita, Ana, Pedro e Armando), "A Bela adormecida", "Festa no céu" e "Os Três porquinhos", estes, eu sabia de "cor e salteado" e enchia os ouvidos dos meus pais repetindo os trechos favoritos, a quem devo o gosto pela leitura e escrita.



Um comentário: